Vice de Lula, Alckmin promete, se eleito, recriar Ministério da Cultura e cita ‘desmonte’


O ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSB), candidato à vice-presidência da República na chapa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), afirma que vai reconstruir o Ministério da Cultura, se eleito. Para ele, houve um “desmonte” e um “verdadeiro apagão” no setor cultural do país no atual governo do presidente Jair Bolsonaro (PL).

“A cultura sofreu um verdadeiro apagão no Brasil. Aliás, vivemos um momento anormal. O Ibama é estimulado a trabalhar contra o meio ambiente, a Fundação Palmares não reconhece o racismo e a cultura é contra o artista. É um paradoxo e um desmonte do estado brasileiro”, critica o candidato, durante um evento na casa de amigos do setor cultural, no bairro do Morumbi, em São Paulo, na noite desta terça-feira, 23.

Ele destaca que o segmento representa um percentual considerável de geração de postos de trabalho no Brasil. “A cultura, embora represente 3% do PIB [Produto Interno Bruto], representa 6% dos empregos. Tem que ter fomento”, ressalta. Alckmin ainda enfatizou que a Lei Rouanet foi um “grande ganho” para o País e que pretende ter um “diálogo permanente” com artistas e produtores.

No âmbito da economia, o ex-governador avalia que investir no setor de construção civil é uma das fórmulas para combater o desemprego no Brasil. Por isso, pretende fomentar o programa Minha Casa Minha Vida. “O programa gera emprego rapidamente com a construção civil”, declara.

Ele se reuniu, também nesta terça, com Lula e representantes do setor da construção civil, como o Secovi (A Casa do Mercado Imobiliário) e Sindicato da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon), no hotel Grand Mercure, para discutir as novas diretrizes do programa.

O foco será o de reestabelecer o subsídio da faixa 1, que engloba famílias com renda de até R$1,8 mil. “Todo o nosso esforço e desafio é como gerar emprego e renda para jovens terem oportunidade e as pessoas poderem manter suas famílias através do trabalho, para o país poder avançar”, esclarece.

Alckmin também menciona que o Brasil precisa de três pilares para se reerguer economicamente: “previsibilidade, estabilidade e credibilidade”. Para isso, seu governo buscaria a parceria com a iniciativa privada e redução dos impostos, fazendo uma reforma tributária. O candidato acredita que a simplificação dos tributos, nos moldes do Imposto sobre Valor Agregado (IVA), fará com que o Produto Interno Bruto (PIB) do país cresça, gerando liquidez.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Estadão Conteúdo



Source link

Leave a Comment

Your email address will not be published.