Ucrânia acusa Rússia de bombardear 3ª usina nuclear e colocar mundo inteiro em risco


A usina de Tchernóbil também foi alvo de preocupação. A instalação foi ocupada pelos russos ainda nos primeiros dias da invasão

A Ucrânia acusou nesta segunda-feira (19) a Rússia de bombardear as proximidades da usina nuclear de Pivdennoukrainsk, no sul do país. Essa é a terceira instalação nuclear a ser alvo de bombardeios desde o início da invasão russa.

De acordo com a operadora estatal Energoatom, “uma poderosa explosão ocorreu na madrugada a apenas 300 metros dos reatores”. O ataque, segundo a agência ucraniana, ocasionou a explosão de cem janelas da estrutura e causou um breve desligamento três linhas de alta tensão. Na manhã desta segunda, porém, a usina já funcionava normalmente, segundo a agência de notícias Reuters.

A explosão desta segunda retoma a preocupação com as condições das usinas nucleares da Ucrânia. No Telegram, o presidente do país, Volodimir Zelenski, acusou a Rússia de colocar o mundo inteiro em risco. “Temos que parar antes que seja tarde demais”, disse.

A situação da usina de Zaporíjia, no sudeste do país, é considerada a mais crítica por especialistas internacionais. A instalação, controlada pelos russos desde as primeiras semanas da invasão, foi alvo de vários bombardeios nos últimos meses e precisou ser examinada por técnicos da Agência Internacional de Energia Atômica, ligada à ONU.

No sábado (17), a usina foi reconectada à rede elétrica da Ucrânia. A central nuclear havia sido desligada na semana anterior após trocas de acusações entre Kiev e Moscou sobre ataques na região. Antes da guerra, a planta era responsável por cerca de 25% da energia do país.

A usina de Tchernóbil também foi alvo de preocupação. A instalação foi ocupada pelos russos ainda nos primeiros dias da invasão, mas as forças ucranianas conseguiram retomá-la no final de março.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Source link

Leave a Comment

Your email address will not be published.